quarta-feira, 27 de setembro de 2017

RESENHA DE LIVRO: MOSAICO TEOLÓGICO (ESBOÇO DE DOUTRINAS CRISTÃS)


Sou ouvinte regular do podcast BiboTalk e vi no canal do youtube a propaganda desse livro que me chamou a atenção em ler. Prefaciado por Augustus Nicodemus, quando li o primeiro capítulo, pensei "mais um livro sobre o Credo Apostólico". Já tinha lido o Esboço de uma Dogmática do Karl Barth ao qual em breve, também farei uma resenha, achei que o conteúdo não seria diferente do que eu já tinha lido sobre. Teologia é falar sobre Deus e as coisas pertinentes a Ele (prefácio). A ideia do Credo é que num período em que iam surgindo diversas heresias sobre Jesus, a Igreja se viu forçada a criar o Credo no século IV para lhe dar um norte e vencer o arianismo que tirava a divindade de Jesus. No capítulo sobre Deus, aprendemos o quanto Ele se revelou ao homem pela natureza, pela moral já escrita no coração deles e a revelação especial pelas Escrituras. Ele se apresentou. Ele se nomeou. O interessante é que no Novo Testamento, o judeu já tinha a ideia de um único Deus, por isso já utilizava mais a palavra Deus e não necessariamente o nome, porque não acreditava na divindade de outros deuses. Pela fé, Deus criou o mundo. Jesus é o centro das Escrituras, é a centralidade da cruz. Satanás tenta lançar dúvidas sobre o lugar de Deus nos seus filhos como fez com Jesus no deserto, esse foi o cerne da tentação. A cruz é o maior símbolo do cristianismo. Pregamos o Cristo crucificado que é loucura para gregos e escândalo para gentios. A cruz é o resgate do pecador que somos. É na cruz que a fraqueza se torna forte. É na ressurreição de Jesus que a Igreja surge. O Espirito Santo é o consolador enviado por Ele para Sua Igreja. Ele é o santificador e embora sejamos regenerados com a obra expiatória de Jesus, a santificação é um processo diário até o nosso último dia. Ela não é requisito da salvação, pois isso pertence a Deus, o cristão se santifica para ser sal da terra e luz do mundo. O livro trata também da Igreja que é universal, una e santa. É a congregação dos pecadores em busca de Deus que os santifica, logo, ela é santa porque não é de seres humanos, mas de Jesus Cristo. A reforma trouxe um impulso a formação de denominações que consolidaram em confessionalidades. E com as ortodoxias, surgem as ortopraxias. Aprendi também que a palavra exortação quer dizer encorajamento. O livro traz a Esperança Cristã da ressurreição dos mortos e da vida vindoura, "Karl Barth disse que Deus é a negação do tempo, pois ele possui a Eternidade"(pág.89). E por fim, as Escrituras que são a nossa regra de fé. Um cristão autêntico crê na infalibilidade das Escrituras, pois elas são inspiradas pelo próprio Deus. Vivemos numa época da negação da verdade absoluta, substituindo-a por uma relativa e um arcabouço de verdades, o que não é verdadeiro. Ela se mantém inalterável e nisso o cristão tem que se manter firme.  O PDF possuí 103 páginas e a leitura é rápida e de fácil entendimento. Procure na BTBooks. 

2 comentários:

Luis Vulcanis disse...

Li este livro e amei. Tinha a versão impressa mas dei de presente para um Pr. amigo meu. Gostei do resumão...

Cristo Suburbano disse...

Resumão simples, é um review muito bacana.